AO VIVO
Fechar
© 2020 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Deputado Estadual e vice-presidente da Alesc fala sobre os trabalhos do legislativo catarinense

O deputado também critica as ações tomadas pelo Governador frente à pandemia do covid-19.

Por Rádio Progresso
Postado em 29 de junho de 2020 às 13:00.00
Ouça:
Ouça na íntegra a entrevista com o deputado estadual, Mauro De Nadal.

Foto: Divulgação | Alesc

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado estadual Mauro De Nadal (MDB), disse que foi realizada uma reunião com os prefeitos de Belmonte e Descanso, Genésio Bressiani e Sadi Bonamigo, respectivamente, onde foi relatado o impacto do tornado nos municípios.

Mauro salientou que a partir disto, alguns encaminhamentos estão sendo planejados. Ele disse que recentemente visitou as cidades de Belmonte e Descanso, para conversar com as famílias atingidas e observar de perto os estragos causados e contemplar o projeto que está em atividade na Assembleia Legislativa.

De Nadal requisitou junto à bancada de deputados e deputadas do oeste, que fosse realizada uma lei, semelhante aos estragos causados pelas enchentes em 2012, na região de São Carlos, como uma forma de incentivar financeiramente os municípios. “A previsão de conclusão do projeto está datada para esta semana, as demais entidades participantes salientam que o desastre não será 100% resgatado, mas que será de grande auxílio para as vítimas”.

Referente ao caso dos respiradores adquiridos pelo governo de Carlos Moisés, o deputado Mauro comenta que após a declaração de calamidade no estado devido a pandemia do covid-19: “A Assembleia teve que criar uma comissão especial, para acompanhar as ações do estado referente ao coronavírus. Diante disso, se instaurou uma nova comissão, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), com o objetivo de analisar nesse caso, a compra dos respiradores”.

Mauro diz que o que se sabe até o momento, são depoimentos de pessoas que participaram da transação, além da forte investigação realizada pelo GAECO e o Ministério Público de Santa Catarina.

“O que causou a desconfiança foi a antecipação de R$ 33 milhões do estado, para uma empresa desconhecida do Rio de Janeiro, sabendo que em Santa Catarina há outras empresas até com destaque internacional como o caso da WEG, que no mesmo período já havia se prontificado para fabricar os respiradores. O recurso foi antecipado sem garantia da capacidade financeira da empresa, para atender um contrato deste nível, ou se possuíam capacidade técnica para trabalhar nesta área, nem ao menos se sabia a localização física da empresa”.

Mauro salienta que o trabalho na Assembleia é compreender a ação e buscar os culpados, e que todos os servidores públicos que tenham praticado ações ilícitas, serão punidos de acordo com a legislação. O deputado também critica as ações tomadas pelo Governador frente à pandemia do covid-19.

Mauro diz que em um primeiro momento, se viu um excesso de medidas restritivas, com ações que eram naquele momento, desnecessárias, contudo, devido ao espanto da população e as poucas informações sabidas do coronavírus, o crédito às ações tomadas foi concedido ao governo.

“Agora, o estado de Santa Catarina está no período mais crítico dos casos e a situação está normalizando, uma atitude que na visão do deputado, é contraditória. Os deputados neste momento trabalham juntamente com o governo para que não falte UTI’s nem hospitais para o tratamento da doença, dando credibilidade aos hospitais regionais de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xanxerê, e Concórdia, que são referências para tratamentos de UTI’s”.

Sobre os pedidos de impeachment do governador Carlos Moisés, o deputado comenta que em consenso com os outros deputados, o foco neste momento é o coronavírus, e o cidadão compreender que o órgão público de saúde estará à disposição para atendê-lo.

Todos os outros processos em vigor como o aumento do salário dos procuradores sem uma autorização legislativa será avaliado em outro momento, onde a preocupação não esteja estritamente direcionada para a saúde.

Mesmo assim, o deputado salienta que todos os pedidos serão avaliados pelos 40 deputados estaduais, neste momento os pedidos recebem uma análise jurídica.

O deputado comenta um projeto de lei de sua autoria para sessão de cinema para pessoas sensoriais, para pessoas diagnosticadas com autismo ou síndrome de down. “Neste projeto, consta que os cinemas de Santa Catarina devem reservar um dia, ou uma sessão ao mês para que pessoas com essas necessidades possam ir ao cinema. Essas pessoas não podem participar de uma sessão comum porque o nível de som e luminosidade não é suportado por eles. Será ajustada uma sessão especial a estas pessoas, dando oportunidade de inclusão social e harmônica”.

Fotos:
Fonte: Rádio Progresso