AO VIVO
Fechar
© 2020 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Destaque Empresarial: Conheça a história de Ironi Comin

Atualmente proprietário do Supermercado Comin, Ironi já foi agricultor, mecânico, militar e caminhoneiro.

Por Rádio Progresso
Postado em 17 de maio de 2020 às 08:37.30
Ouça:
Ouça o programa Destaque Empresarial, contando a história da vida e empresas do empresário, Ironi Comin.


Ironi Comin e o seu primeiro caminhão, comprado em 1991, que ele conserva até hoje. Foto: Aléssio Jr/Rádio Progresso AM.

Neste sábado (16) a Rádio Progresso AM 590 estreou o programa Destaque Empresarial, o objetivo do programa semanal que será reproduzido todos os sábados às 11h10 é valorizar a história dos empresários e suas respectivas empresas de Descanso e região.

Durante o programa a nossa reportagem conversará com os empresários para saber um pouco mais do seu dia-a-dia, a motivação para iniciar um negócio, como cada empresa começou, quais foram as principais dificuldades enfrentadas, quais os projetos futuros, e claro, aquelas histórias curiosas que só o tempo permite a cada um de nós.

Na nossa primeira edição do programa Destaque Empresarial nossa equipe conversou com Ironi Comin, como popularmente conhecemos, seu Ironi, é o proprietário do Super Comin, mas o que poucos sabem é que ele iniciou sua vida empresarial com caminhões, no transporte do leite, e bem antes disso serviu o exército, chegando a fazer guarda em Brasília no Congresso Nacional.

Filho de agricultores, nascido em 24 de Dezembro de 1959 em Anta Gorda no Rio Grande do Sul, filho da dona Irene e seu Expedito,  Ironi veio para a região Extremo Oeste Catarinense aos 13 anos em 1972.

A primeira cidade que a família Comin teve contato foi Descanso, aqui deram sequencia nas suas atividades na agricultura, mas Ironi queria mais, logo após, ao completar 16 anos, em meados de 1975, foi para São Miguel do Oeste em busca de emprego, e conseguiu, logo nas primeiras tentativas, seu primeiro emprego foi uma mecânica da cidade.

Completando 18 anos, cumpriu o seu dever cívico e se alistou na junta de serviço militar, e foi em 1978 que teve a surpresa: fora chamado para servir em Brasília.

Na Capital Nacional Ironi permaneceu por um ano, neste período fez guarda no Congresso Nacional.

No ano seguinte, em 1979 retornou para São Miguel do Oeste, e retornou na oficina aonde em outrora havia iniciado seu trabalho. Ali permaneceu até meados de 1981, por estar em contato com veículos e maquinários, muitos deles caminhões, despertou seu interesse pelo transporte.

Foi então que em 1986, na época com 27 anos, fundou a Transportadora Comin, empresa esta que trabalhava na recolha do leite dos produtores rurais de Descanso e Região e entregava em Chapecó.

Ironi Comin lembra que a principal dificuldade da época era as estradas que davam acesso às propriedades: “Na época tudo era diferente, era outro sistema, recolhíamos o tarro, colocávamos na picape e levávamos até Chapecó. Era desse jeito”. Relembra.

E assim a frota foi crescendo. Em 1991 Ironi topou o desafio de começar um consórcio, oferecido na época pela Chevrolet para a aquisição de um caminhão novo. “Me lembro muito bem, a Chevrolet veio para Descanso e reuniu os empresários da época e ofereceu o consórcio, mas apenas eu tive coragem de enfrentar a situação”.

Ironi lembra bem que na época o vendedor do consórcio prometeu que no máximo na quarta parcela, quem adquirisse o consórcio seria contemplado, mas demorou um pouco mais. “Eu estava gastando bastante com mecânica, quem tem carro velho sabe como é, então arisquei, ou vai ou racha, foi o que eu pensei na aquela oportunidade, então comecei a pagar o consórcio e chegou a tal da quarta parcela, a quinta, a décima. Fui contemplado na décima oitava parcela, fiquei apreensivo, mas tudo deu certo”. Revela.

E foi em 1991 graças ao consórcio, que Ironi Comin comprou o primeiro caminhão novo para o transporte do leite, um GM Chevrolet D-40, caminhão este que ele conserva até hoje.

Anos mais tarde em 1994 juntamente com sua esposa Marli (In Memorian) surgiu a ideia de montar um mercado. A ideia deu certo, na época o mercado era pequeno, mas os planos eram grandes. “Eu e a minha esposa pensamos assim: comer todo mundo precisa, então porque não investir neste ramo? Na época era um mercadinho que tinha um pouco de sal, açúcar, farinha, ovos e outros itens do dia-a-dia”. Afirma Ironi.

O Super Comin foi crescendo, evoluindo, se transformando e em 1998 veio a decisão, seguir somente em um setor, pois até então a família se dividia entre o transporte e o mercado. “Chegou um ponto que não dava mais, tive que optar ou uma coisa ou outra”.  Destaca Ironi.

E foi essa ideia de que todos os dias precisamos comer, que a decisão de seguir com o mercado falou mais alto, Ironi e sua esposa se desfizeram dos caminhões para investir mais no mercado.

Atualmente com 800 metros quadrados o Supermercado Comin conta com a linha completa de alimentícios, bebidas, fruteira, açougue e padaria própria. Ironi relembra que desde a sua fundação o mercado sempre esteve situado na Rua da República em Descanso.

Quando perguntado qual a principal dificuldade nos dias de hoje, o empresário Descansense, com mais de três décadas de experiência, assim respondeu:

-Antigamente eram as estradas, limitadas, estreitas e muitas vezes quando chovia viravam atoleiros, mas com um trator resolvia, hoje o grande problema são os impostos pagos, neste período que eu estou trabalhando com o mercado eles praticamente triplicaram. Afirma Ironi Comin.

Pai de 2 filhos, uma mulher e um homem, Ironi revelou que está ocorrendo a sucessão no negócio, a filha Marine está tomando a frente, trabalhando e auxiliando nas ações do dia-a-dia. “Todas as decisões que eu tomo tem o auxílio da minha equipe e da Marine, que vai seguir tocando o negócio”.

Para encerrar nossa equipe perguntou: para quem está iniciando o seu negócio, qual a mensagem o senhor deixa? A resposta foi surpreendente:

-Primeiramente eu daria os parabéns, é preciso muita coragem e depois é preciso levar em consideração que será necessário trabalhar muito e valorizar seus fornecedores, seus colaboradores e principalmente o seu cliente, que é quem garante seu sustento todos os dias.

Fotos:
Fonte: Aléssio Jr/Rádio Progresso AM.