AO VIVO
Fechar
© 2020 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Situação contratual afasta Ferreira dos treinos do grupo principal do Grêmio

Jogador passou a treinar na manhã desta sexta-feira no CT de Eldorado do Sul

Por Rádio Progresso
Postado em 28 de fevereiro de 2020 às 14:57.18

O atacante Ferreira, de 22 anos, foi afastado dos treinamentos do grupo principal do Grêmio até que a situação contratual entre as partes seja concluída. Segundo informações do repórter Cristiano Silva, da Rádio Guaíba, a direção do Tricolor, através do vice de futebol, Paulo Luz, e do CEO Carlos Amodeo, teriam oferecido um aumento salarial de R$ 20 mil para R$ 30 mil, o que não foi aceito pelo atleta e seu empresário, Pablo Bueno.

A atacante havia renovado o contrato em 2019 para treinar entre os profissionais sem um aumento salarial. Com vínculo assinado no ano passado terminando na metade de 2021, a direção chamou o atleta para acertar uma nova renovação e, na ocasião, o jogador teria pedido um aumento. Ele lembrou que outros jogadores que não treinam no grupo principal recebiam mais do que ele. Em um primeiro momento, a direção negou a possibilidade e, hoje, Ferreira voltou a treinar em Eldorado do Sul com as categorias inferiores.

Segundo Cristiano Silva, Renato Portaluppi teria pedido ao presidente Romildo Bolzan Jr a liberação do atleta. Inicialmente, o dirigente ficou de analisar a situação, mas a decisão foi pelo afastamento. Sem o acerto, Ferreira pode ficar de fora da lista da Libertadores que será enviada para a Conmebol após o jogo contra o Juventude.

O atacante recebeu uma proposta do Athletico-PR no começo do ano que girou em torno de R$ 10 milhões, o que não foi aceito pelo Grêmio. O empresário do jogador, que também trabalha com o atacante Tetê, está em Portugal e espera nova proposta para tentar acertar com o Tricolor.

Ferreira está fora da delegação que viaja nesta sexta-feira para Caxias do Sul. No sábado, às 11h, o Grêmio pega o Juventude na primeira rodada do segundo turno do Campeonato Gaúcho.

Fotos:
Fonte: Correio do Povo