AO VIVO
Fechar
© 2020 - Rádio Progresso Todos direitos reservados

Chuva devasta cidades no Sul do ES e deixa mortos e desaparecidos

Rio que corta municípios no Sul do Espírito Santo subiu mais de quatro metros. Cidades de Iconha e Alfredo Chaves decretaram estado de calamidade pública.

Por Rádio Progresso
Postado em 19 de janeiro de 2020 às 08:30.43

Um temporal devastou cidades do sul do Espírito Santo. As autoridades já confirmaram as mortes de seis pessoas. A destruição é tanta, que os bombeiros encontram dificuldades para determinar o número de desaparecidos.

A enxurrada foi tão forte, que saiu arrastando tudo que havia pela frente. O rio que corta o município de Iconha, no Sul do Espírito Santo, subiu mais de quatro metros na noite de sexta-feira (17). Quando a água baixou, apareceram carros e mais carros amontoados e espalhados pelas ruas.

“É muito difícil a gente ver a cidade que a gente cresceu nesse estado. A gente pede ajuda de coração para que a gente tenha água, medicamento, comida”, lamentou a auxiliar de escritório Nazaré Paganini.

O cenário em Iconha é o de uma cidade devastada. A chuva derrubou árvores, postes, muros. A lama tomou conta das ruas, do comércio, das casas. Invadiu o hospital e arrastou pedaços de árvore para dentro da unidade. Casas foram destruídas.

A empresária Ana Paula de Castro escapou pelo telhado. “Conseguimos ser resgatados pela vizinha, que é minha tia, pelo telhado. Subimos ao telhado e passamos para casa ao lado”.

Bruna Bourguinon, dona de casa, procura pela mãe, que morava numa casa destruída pela chuva. “Quando a água subiu ela veio em casa tentar salvar os documentos. Assim que ela entrou, a água já tapou tudo, os vizinhos tentaram salvar, mas não deu jeito”.

Os vizinhos viram a moradora sendo arrastada pela enchente. Ela continua desaparecida.

“Ela gritou por socorro e caiu a casa com ela junto. E a gente não podia fazer, ficamos do lado de fora assistindo”, disse a contadora Silvana Francisco.

Já são seis mortes confirmadas pelos bombeiros, três em Iconha e três no município vizinho, Alfredo Chaves.

Os dois municípios decretaram estado de calamidade pública para apressar a chegada de recursos do governo do Estado e também do Governo Federal. O Ministério de Desenvolvimento Regional se colocou à disposição para ajudar as vítimas da chuva.

Em Alfredo Chaves, um casal de idosos morreu depois que a casa onde morava foi atingida por um barranco. O neto foi resgatado de helicóptero. Luan Barbosa, de 30 anos, recebeu alta na tarde deste sábado (18).

A cidade registrou o maior volume de chuva no Espírito Santo nas últimas 24 horas, quase 250 milímetros. Ruas, comércio e até o posto de saúde foram inundados. A Defesa Civil dos municípios ainda está contabilizando o número de pessoas fora de casa. O Espírito Santo mantém o estado de alerta.

Fotos:
Fonte: G1