10/08/2019 07:34

Estiagem causa aumento no número de queimadas em SC Bombeiros orientam que população não coloque fogo em lixo ou jogue bitucas de cigarro na mata. Regiões da Grande Florianópolis e do Oeste registram problema.

A estiagem que atinge Santa Catarina, além de problemas no abastecimento de água, tem provocado queimadas. As regiões da Grande Florianópolis e do Oeste registraram o problema. Os bombeiros orientam que a população não coloque fogo em lixo ou jogue bitucas de cigarro em locais que possam ocasionar um incêndio.

Fogo na mata tem sido uma rotina na Grande Florianópolis. É um dos efeitos da estiagem. Desde o começo de junho, não chove forte na região.

"Praticamente todos os dias têm acontecido os incêndios florestais na região aqui da Grande Florianópolis, Paulo Lopes também a gente tem atendido praticamente todos os dias. Desde que não haja chuva, a expectativa nossa é que aumentem ainda mais esses focos de incêndio diariamente", afirmou o capitão dos bombeiros Anderson Ciotta.

Focos de incêndio

Vários focos de incêndio foram registrados recentemente na vegetação às margens da Via Expressa Sul, em Florianópolis. Era possível ver a fumaça de longe, a sete quilômetros de distância. As chamas ameaçavam a escola estadual Júlio da Costa Neves, na Costeira.

Para combater o fogo, os bombeiros tiveram o reforço do helicóptero da corporação. Um equipamento foi encaixado da aeronave. Trata-se de uma espécie de bolsa capaz de captar, armazenar e jogar água.

O helicóptero auxilia no combate ao incêndio justamente onde é mais difícil os bombeiros chegarem por terra. A água foi captada em um dos canais da Baía Sul e a cada lançamento 540 litros de água eram derramados.

Os bombeiros repetiram a manobra nove vezes, até que o incêndio foi controlado. "Requer bastante esforço físico e muito tempo de combate. Em 10 ou 15 minutos com a aeronave em apoio e logicamente as guarnições em terra, a gente consegue extinguir praticamente o incêndio", relatou o capitão.

O problema não é exclusivo da Grande Florianópolis. A região Oeste também sofre com a falta de chuva e as queimadas também são constantes. Em julho foram registrados 40 incêndios em vegetação em Chapecó, mais que o dobro das ocorrências do mesmo mês no ano passado.

Os bombeiros lembram que, com a seca, um lixo na mata pode provocar fogo. E fazem um alerta. "De maneira alguma pode fazer é iniciar o fogo, por mais que ele ache que é controlado, jogar bituca de cigarro que aí pode acontecer o incêndio provocado pelo homem", afirmou o capitão.

Veja fotos da matéria

Fonte: G1

Mais notícias