02/08/2019 14:39

Anvisa reclassifica mais de 1.900 agrotóxicos e tira 600 produtos dos rótulos de maior risco Mudança na embalagem seguirá padrão internacional e produtos com tarja vermelha levarão em conta apenas o potencial de morte do pesticida. De 698 defensivos que estavam na categoria mais perigosa, apenas 43 permaneceram.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou na última quinta-feira (1º) a reclassificação de 1.924 agrotóxicos registrados no Brasil. Com base no novo marco regulatório, 600 produtos que tinham tarja vermelha no rótulo, que indica maior risco, foram redistribuídos para categorias inferiores.

Agora, só vai receber o título de "extremamente tóxico" (tarja vermelha) ou "altamente tóxico" (vermelha) o produto que levar à morte se ingerido ou entrar em contato com pele e olhos.

Os que podem causar intoxicação, sem risco de morte, levarão a classificação "moderadamente tóxico" (amarela), "pouco tóxico" (azul) ou "improvável de causar dano agudo" (azul).

As empresas terão um ano para se adaptar à nova embalagem.

No total, 1.942 produtos foram avaliados pela agência, sendo que 1.924 foram reclassificados e outros 18 não tiveram informações suficientes para serem redistribuídos e poderão ser categorizados futuramente.

No novo padrão adotado pela Anvisa, as classificações para cores de rótulos passarão de 4 para 6 e que só levarão em conta a toxicidade do produto, ou seja, o risco que o produto tem de matar.

Com essa redistribuição:

860 agrotóxicos terão nova classificação e os rótulos mudam de cor;

842 mantiveram a coloração das tarjas;

222 subirão para uma categoria mais rígida.

Veja fotos da matéria

Fonte: G1

Mais notícias