21/07/2019 11:19

Ceará vence por 2 a 0 e acaba com invencibilidade do Palmeiras Verdão não perdia no Brasileirão desde 25 de julho do ano passado, há 33 rodadas.

Vozão conseguiu se afastar da zona do rebaixamento | Foto: Stephan Eilert / Ceara SC / Divulgação

O Ceará acabou, neste sábado (20), com a invencibilidade de 33 jogos do Palmeiras no Brasileirão. A equipe nordestina venceu o líder do campeonato por 2 a 0, na Arena Castelão, em Fortaleza, pela 11ª rodada da competição. Os gols da partida foram marcados por Mateus Gonçalves e Leandro Carvalho. O primeiro gerou muita reclamação alviverde por conta de uma possível falta em Deyverson no início da jogada. Houve ainda um pênalti para o Palmeiras, anulado após revisão no árbitro de vídeo.

Com a derrota, o Palmeiras pode ter seus 26 pontos igualados pelo Santos, que joga na manhã deste domingo contra o Botafogo, no Rio. A liderança, porém, está praticamente garantida: a equipe alviverde tem oito gols a mais de saldo e uma vitória a mais que os santistas. Já o Ceará foi aos 14 pontos e assumiu a 13ª posição da tabela, distanciando-se da zona de rebaixamento, hoje aberta pelo Fluminense, 17º colocado, com nove pontos.

A última derrota do Palmeiras no Brasileirão havia sido em 25 de julho do ano passado. Na ocasião, o time perdeu por 2 a 1 para o Fluminense, no Maracanã, e trocou o técnico Roger Machado por Luiz Felipe Scolari. No fim, o Palmeiras acabou conquistando o Brasileirão de 2018.

Neste sábado, Felipão surpreendeu ao escalar força máxima, à exceção de Gustavo Scarpa na vaga de Lucas Lima. O Palmeiras enfrenta uma maratona de jogos fora de casa: atuou em Porto Alegre na última quarta-feira, visitou o Ceará e viajará à Argentina para enfrentar o Godoy Cruz na terça-feira, pela Libertadores. Felipão explicou que a mudança no planejamento aconteceu por conta da eliminação na Copa do Brasil. A equipe perdeu para o Inter nos pênaltis e caiu nas quartas de final da competição. A derrota, aliás, gerou protesto de torcedores em Fortaleza na última sexta-feira. Os jogadores, o treinador e o diretor de futebol Alexandre Mattos foram cobrados na chegada ao hotel, e pipocas foram arremessadas. A derrota para o Ceará aumenta a pressão antes do jogo de ida das oitavas de final da Libertadores.

Mesmo com força máxima, o Palmeiras esteve bagunçado durante a maior parte do jogo. A equipe tinha dificuldades de criar e sofria perigo com os ataques rápidos do Ceará. Especialmente Diogo Barbosa e Felipe Melo reclamaram muito com os companheiros durante o primeiro tempo. O Ceará chegou ao primeiro gol aos 31 minutos. Mateus Gonçalves carregou da direita para a esquerda e abriu para João Lucas, que cruzou. Luan afastou, mas a bola sobrou para Mateus Gonçalves acertar um belo chute de primeira, sem chances para Weverton. Os palmeirenses reclamaram de falta de Samuel Xavier em Deyverson no início da jogada. O árbitro Rodrigo D'alonso Ferreira foi chamado para analisar o lance no vídeo e validou o gol do Ceará.

No segundo tempo, Felipão colocou Willian e depois Raphael Veiga e Ramires, que fez sua estreia pelo Palmeiras. A equipe ficou mais ofensiva e passou a levar perigo. Aos 24, o árbitro marcou pênalti após a bola bater no braço de Luiz Otávio. No entanto, o lance foi anulado depois da revisão no vídeo. O empate parecia estar perto de acontecer, mas quem marcou foi o Ceará. Aos 26, a defesa do time da casa afastou com chutão, Felipe Melo desviou de cabeça para trás e a bola sobrou limpa para Leandro Carvalho encobrir o goleiro Weverton. Foi o primeiro toque na bola do atacante, que havia entrado em campo dois minutos antes.

Com 2 a 0 no placar, os jogadores do Palmeiras mostraram ainda mais nervosismo em campo. A equipe tentou pressionar, mas de forma bagunçada. O goleiro Diogo Silva saiu bem em dois lances, evitou as finalizações do adversário e garantiu a vitória do Ceará. O Palmeiras não perdia por dois gols de diferença desde o jogo contra o Boca Juniors, pela semifinal da Libertadores de 2018.

Veja fotos da matéria

Fonte: Correio do Povo

Mais notícias