27/06/2019 10:04 (atualizado em 27/06/2019 10:10)

Queima de materiais no perímetro urbano é proibida; desobediência pode gerar infração Fiscal da vigilância sanitária orienta a população

OUVIR ÁUDIO DA MATÉRIA
Fiscal da Vigilância Sanitária Elaine Melz

Desde 2017 os agentes comunitários de saúde estão orientando a população urbana, que é proibida a realização de queimadas no perímetro urbano, a determinação inclui a queima de materiais em áreas públicas como depósito de entulhos e lixos e até as folhas secas do quintal ou da calçada.

Fiscal da vigilância sanitária do município Elaine Melz (Foto: Arquivo/Rádio Progresso)

De acordo com a fiscal da vigilância sanitária do município Elaine Melz, o fato vem ocorrendo com frequência e a desobediência pode gerar infração.

“As queimas não são permitidas, e é importante que todos levem a sério. Todos que forem flagrados serão notificados, terão de apagar o fogo de forma imediata, além de gerar uma infração e um processo administrativo sanitário podendo ser multado a um valor que chega a 2 mil reais.” Explica Elaine.

A queima desses materiais pode causar alergia às pessoas que podem ter crises de tosse por conta da fumaça que é tóxica.

Elaine ainda salienta que a recolha de lixo comum e podas de árvore é realizada no município, materiais como eletrônicos e vidros também tem sua destinação correta.

“O lixo comum precisa ser ensacado e colocado na rua no dia da recolha, quem realizar a poda de árvores deve entrar em contato com a secretaria de urbanismo para ver da recolha, as lâmpadas não devem ser descartadas no lixo comum e sim devolvidas às empresas que possuem a logística reversa, o lixo eletrônico pode ser levado na CDL que realiza todo ano uma campanha, e os vidros também são recolhidos em campanhas programadas.” Finaliza a fiscal.

Queima de materiais no perímetro urbano (Foto: Divulgação)

Veja fotos da matéria

Fonte: Rádio Progresso

Mais notícias