26/06/2019 11:15

Santa Catarina tem 20 casos confirmados Gripe A em dez dias, aponta DIVE/SC O relatório divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC) aponta duas novas mortes por Influenza até o dia 24 de junho de 2019.

(Foto: Charles Guerra / Agência RBS)

O último relatório sobre a gripe no Estado divulgado nesta terça-feira (25) aponta 20 novos casos de Gripe A em Santa Catarina nos últimos 10 dias. O documento leva em conta as confirmações da doença feitas até o dia 24 de junho de 2019. Até o momento temos 125 registros do vírus A (H1N1), 21 pelo vírus A (H3N2), 6 aguardando subtipagem e 4 pelo vírus Influenza B. No mesmo período, foram confirmadas 18 mortes. Sendo, 15 pelo subtipo A (H1N1), 2 pelo subtipo A (H3N2) e 1 (5,6%) aguarda subtipagem para definição do subtipo viral.

Em comparação com o último levantamento lançado no dia 17 de junho houve dois novos casos de morte pela influenza. Um deles por H1N1 em Jaraguá do Sul e outro em Biguaçu com subtipo em análise. Ao todo, foram confirmadas 18 mortes. Sendo, 15 pelo subtipo A (H1N1), 2 pelo subtipo A (H3N2) e 1 sem definição de subtipo viral.

A cidade com mais registros de morte por influenza é Joinville com três casos, seguido por  Blumenau, Chapecó, Jaraguá do Sul e Tubarão com 2 casos cada. Balneário Camboriú, Biguaçu, Brusque, Canoinhas, Florianópolis, São Bento do Sul e São Francisco do Sul, têm um registro.

Mortes por município:

Chapecó - 22 casos

Blumenau - 17 casos

Florianópolis - 16 casos

Joinville - 15 casos

Brusque - oito casos

Balneário Camboriú - sete casos

São José - seis casos

Jaraguá do Sul e Lages - quatro casos cada

Coronel Freitas, Itajaí, Laguna e Tubarão com 3 casos cada

Biguaçu, Canoinhas, Concórdia, Cunha Porã, Maravilha, Mondaí, Pomerode, São Bento do Sul, São Francisco do Sul e Tijucas - dois casos cada

Abelardo Luz, Araquari, Armazém, Balneário Barra do Sul, Botuverá, Braço do Norte, Camboriú, Campo Erê, Criciúma, Flor do Sertão, Galvão, Itaiópolis, Itapoá, Jacinto Machado, Lauro Muller, Luiz Alves, Navegantes, Palhoça, Penha, São João Batista, Sombrio, Timbó, Tunápolis e Turvo - um caso cada

Transmissão

A gripe pode ser transmitida de duas formas: direta, por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar; ou indireta, pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas, podem carregar o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos.

De acordo com a gerente de imunização da DIVE/SC, Lia Quaresma Coimbra, é justamente por causa da gravidade da doença que as pessoas precisam ficar atentas aos sinais e sintomas da gripe que são: febre alta, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. “A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias”, explica.

A recomendação é que ao apresentar esses sinais/sintomas a pessoa busque atendimento numa unidade de saúde imediatamente.

Prevenção

A DIVE/SC reforça que a forma mais segura de prevenção da Influenza é a vacina contra a gripe. Entre as maiores cidades do Estado, apenas Florianópolis tem doses disponíveis para o público geral. A prefeitura da Capital informou os interessados em se imunizar podem procurar as Unidades Básicas de Saúde dos seguintes bairros: Centro, Agronômica, Monte Serrat, Saco grande, Córrego grande, Trindade, Prainha, Santo Antônio,Ingleses, Canasvieiras. A vacina também é fornecida na rede privada com custo médio de R$100,00.

​Santa Catarina tem o quarto pior índice de vacinação contra a gripe do Brasil​

Além da vacina, é recomendado adotar algumas medidas de prevenção para evitar a gripe: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc), além de manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.

Veja fotos da matéria

Fonte: DC

Mais notícias