26/06/2019 08:52

Santa Catarina tem o quarto pior índice de vacinação contra a gripe do Brasil Esta é a primeira vez que o Estado não atinge a meta vacinal do Ministério da Saúde.

(Foto: Tiago Ghizoni / NSC Total)

O número chegou perto, mas não foi suficiente. A recomendação do Ministério da Saúde (MS) é que 90% da população de risco seja vacinada contra a gripe, porém Santa Catarina imunizou 86,8%, percentual que coloca o estado entre os piores índices registrados a nível nacional pelo MS. Ao todo oito unidades federativas não atingiram o objetivo, SC ficou na frente apenas de  Rio Grande do Sul (86,5%) e Bahia (86%).

Esta é a primeira vez que o Estado não atinge o estabelecido pelo MS. De acordo com os dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) em 2018 foram aplicadas doses em 92,03% do público alvo, neste ano o número reduziu 5,23%. A gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), Lia Quaresma Coimbra afirma que a situação é preocupante. No caso do grupo de risco uma gripe pode levar até a morte.

— Muitas coisas contribuíram para este resultado, não se tem uma resposta exata. Este inverno está atípico e as temperaturas mais altas fazem com que as pessoas deixem a vacina para depois, os horários de abertura dos postos em horário comercial e a Fake News. As notícias falsas estão afetando não só imunização da gripe e sim a adesão a todo calendário — comenta Quaresma

Lia diz ainda que entre os grupos prioritários os idosos surpreenderam. Pela primeira vez  não atingiu a meta dentro do período exclusivo de vacinação. No entanto, após a extensão do prazo foram um dos poucos que passaram do percentual exigido pelo MS no Estado chegando a marca de 101,81%. Logo atrás temos os professores (98,53%), mães 45 dias após o parto (93,75%) e Indígenas (90,08%)

O pior resultado foi dos Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas com cobertura de 41,28%. A  gerente de imunização da DIVE/SC acredita que este resultado ocorreu por  falta de informação. Ela explica que este público foi incluído de maneira tardia, já durante a campanha.

Cobertura Vacinal do grupo prioritário em SC

Crianças: 81,19%

Gestantes: 73,95

Trabalhador de Saúde: 78,87%

Puérperas: 93,75%

Indígenas: 90,08%

Idosos: 101,81%

Professores: 98,53%

População Privada de Liberdade: 82,72%

Funcionários do Sistema Prisional: 79,39%

Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas: 41,28%

*Dados coletados no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI)

Onde se imunizar

Nos postos de saúde de Joinville, Chapecó, Lages e Itajaí as vacinas acabaram apenas quatro dias após a liberação das doses para todos no dia três de junho.  Já em Blumenau, o encerramento ocorreu na semana passada. Entre as maiores cidades do Estado, apenas Florianópolis tem doses disponíveis para o público geral. A prefeitura da Capital informou os interessados em se imunizar podem procurar as Unidades Básicas de Saúde dos seguintes bairros: Centro, Agronômica, Monte Serrat, Saco grande, Córrego grande, Trindade, Prainha, Santo Antônio,Ingleses, Canasvieiras. A vacina também é fornecida na rede privada com custo médio de R$100,00.

Veja fotos da matéria

Fonte: DC

Mais notícias