12/06/2019 14:29

Serviço de Famílias Acolhedoras em São Miguel do Oeste completa dois anos Duas famílias do município já estão aptas para o acolhimento.

Foto: Divulgação / Ascom

O Serviço de Famílias Acolhedoras de São Miguel do Oeste, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Assistência Social comemora nesta quarta-feira (12), dois anos de atividades, após a instituição da Lei Municipal 7.411/2017.

Conforme a coordenadora Carline Mocellin este é um serviço de alta complexidade que tem por objetivo cadastrar e capacitar pessoas da comunidade a fim de assumir a guarda de crianças e adolescentes afastados do convívio familiar, por determinação judicial.

O acolhimento feito pelas famílias é temporário e permite que sejam acolhidos em sua residência, a criança ou o adolescente, por até um ano e meio. Durante esse período a família cuida e, junto com a equipe do Serviço, trabalha para favorecer a convivência familiar e comunitária do acolhido, objetivando o retorno à família de origem, e na impossibilidade desta, o encaminhamento para adoção.

Conforme a psicóloga, Simone Back, São Miguel do Oeste já atendeu seis crianças e adolescentes desde a implantação do Serviço. Sendo que uma foi encaminhada para adoção, três reintegraram à família de origem, um mudou de modalidade de acolhimento e um encontra-se acolhido, atualmente.

Carline explica que os acolhimentos citados foram efetivados, inicialmente, através de convênios com municípios vizinhos. “Após a inscrição, avaliação e capacitação, hoje o município conta com duas famílias acolhedoras aptas ao acolhimento”.

No último domingo (09), a equipe que atua junto ao Serviço esteve na praça Walnir Bottaro Daniel, divulgando o trabalho e sensibilizando famílias para o acolhimento.

Veja fotos da matéria

Fonte: Ascom

Mais notícias