12/02/2018 21:48 (atualizado em 12/02/2018 22:10)

Jovem tunapolitano fala de sua experiência missionária no Haiti Ademar José Hennecka é missionário capuchinho e passou durante o ano de 2017 em missão

OUVIR ÁUDIO DA MATÉRIA
Missionário Ademar Hennecka fala da experiência missionária no Haiti

O jovem tunapolitano Ademar José Hennecka (27) é missionário da congregação dos Capuchinhos e viveu uma experiência missionária no Haiti, país que teve a sua capital e cidades arredores destruídas por um terremoto em 2010.

Ademar Hennecka, missionário Capuchinho. Foto: Vanduir Matias/Rádio Tunaporã

Ademar visitou a Rádio Tunaporã na companhia de seu pai Pedro e concedeu entrevista à emissora. O jovem estuda nos colégios da congregação desde o ensino médio, filosofia e tinha feito o segundo ano de teologia quando foi destinado para a missão. Ele conta que a saída de Tunápolis para a serra gaúcha foi um choque de realidade, principalmente por causa da cultura. Ele também estudou em Santa Maria e Porto Alegre.

Em fevereiro de 2017 partiu com outros três brasileiros para o Haiti. A congregação dos Capuchinhos está formando uma comunidade em Abacoou, no sul do país. Ele conta que as dificuldades no início foram grandes. Um dos primeiros problemas enfrentados foi a língua da comunidade local. Segundo o missionário, a lígua é o Creol, um dialeto francês.

No local, os missionários tem vários trabalhos em parceria com as irmãs da congregação de Santa Catarina, que sustentam um Posto de Saúde para atender os moradores da comunidade. Ademar relata que Abacoou fica distante cerca de duas horas de viagem até uma cidade maior.

Na entrevista, que você pode ouvir no topo da matéria, o jovem tunapolitano fala da experiência missionária, da economia e o comércio informal no Haiti, a impressão que o povo tem dos brasileiros, sobre as doações e diversos outros assuntos, inclusive sobre a sua volta ao Haiti em 2018. Ouça a entrevista no link acima e veja na galeria abaixo algumas fotos da missão!

Grupo em trabalho na Clínica móvel
Trabalho de visita em escola em conjunto com as irmas, com atenção voltada ao bem estar, distribuição de medicamentos básicos: vermes, gripe, alergia
Trabalho na clinica móvel. separação de medicamentos
Parte do grupo em preparação para trabalho de clinica móvel

Veja fotos da matéria

Fonte: Vanduir Matias/Tunaporã AM 1260

Mais notícias