20/03/2017 15:30 (atualizado em 20/03/2017 15:33)

Parceira cria ecoponto para destino adequado do lixo eletrônico em Tunápolis Administração Municipal e AEST se unem para que a população dê o destino adequado a lixo

A administração municipal de Tunápolis, através da Secretaria da Indústria e Comércio e em parceira com a Associação Empresarial de Santa Helena e Tunápolis - AEST estão colocando à disposição da população um ponto de coleta de lixo eletrônico.

Segundo o Secretário Volmir Pedro Lawisch, responsável pelo urbanismo, com o avanço da tecnologia, houve um aumento considerável no consumo de equipamentos eletrônicos. Apesar de possibilitar ganho de produtividade e um maior acesso ao entretenimento e comunicação, o efeito negativo dessa evolução é o aumento significativo do lixo eletrônico, o que se deve muito à aceleração da vida útil dos aparelhos tecnológicos que ganham atualizações e novas funcionalidades em espaços de tempo cada vez mais curtos.

Campanha de recolha do lixo promovida em 2016. Foto: Arquivo AEST

Conforme estudos apontam, em 2016, o mundo produziu cerca de 41,8 milhões de toneladas de lixo eletrônico. Apenas no Brasil, estima-se foi produzido aproximadamente 1,4 milhão de toneladas. Em 2018, a expectativa global é de atingir a marca de 50 milhões de toneladas.

Diante dos números, Lawisch ressalta que fica claro a necessidade de cada vez mais se preocupar com a destinação correta do lixo eletrônico e fomentar a cultura do reuso e da reciclagem de materiais.

O ponto de coleta fica localizado em uma sala ao lado da AEST, junto ao Ginásio Municipal. A entrega pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 08h às 12h e 13h30 às 17h30. Após a coleta de um volume considerável, administração estará encaminhando ao ecoponto da AMEOSC, localizado em São Miguel do Oeste.

Serão aceitos aparelhos eletrônicos, computadores (periféricos), tablets, rádios, impressoras, câmeras fotográficas, televisores, aparelhos de som, fornos de micro-ondas, monitores, eletro portáteis de pequeno porte. Não serão aceitos lâmpadas, nem pilhas e baterias de qualquer espécie.

O secretário Volmir Lawisch ressalta que oportunamente serão realizadas campanhas específicas para a recolha destes materiais, bem como de eletrodomésticos de grande porte, e móveis/utensílio descartado.

Campanha de recolha do lixo promovida em 2016. Foto: Arquivo AEST

Veja fotos da matéria

Mais notícias