08/09/2018 10:21 (atualizado em 08/09/2018 10:41)

Segurança de vida do trabalhador geram maiores lucros as empresas Na empresa de Esquadrias Schroeder de Tunápolis a segurança, faz com que o colaborador se sinta melhor para desenvolver suas funções estabelecidas

OUVIR ÁUDIO DA MATÉRIA
Segurança de vida ao trabalhador gera maiores lucros às empresas

Desde que a segurança de vida do trabalhador se tornou a principal preocupação das empresas, a Esquadrias Schroeder do município de Tunápolis se tornou referência no assunto. Para a direção, isso faz com que o colaborador tenha uma melhor qualidade de vida e assim se sinta bem para desenvolver suas funções estabelecidas.

Há mais de 30 anos no mercado, a empresa familiar de esquadrias de alumínio, vidros e estrutura metálicas, atende cerca de 15 municípios na região e conta com 35 funcionários. 

Empresa de Esquadrias Schroeder (Foto: Daniela Scarioto/Rádio Progresso)

De acordo com a responsável pelo setor de recursos humanos, Luize Schroeder, o trabalho é insalubre e a cada pouco tempo treinamentos são realizados junto ao técnico de segurança do trabalho, para que o trabalhador possa se manter em dia com as constantes mudanças da legislação e de cada obra nova da empresa.

“Graças a Deus até hoje nunca tivemos nenhum acidente grave, nunca tivemos auxílio doença por acidente de trabalho, algum auxílio que já encaminhamos foi por fatores externos, como acidentes no final de semana envolvendo divertimento ou lazer.” Enfatiza Luize.

Os acidentes de trabalho que ocorreram no local até hoje foram pequenos, como alguns cortes superficiais e queimaduras, nada que afastasse o trabalhador da empresa por mais de quatro dias.

O funcionário Adilson Gretzler que trabalha no acabamento e pintura da esquadria, sofreu nos últimos dias um pequeno corte em um dos dedos, mas em questão de uma hora após o acidente já pode voltar ao trabalho.

Trabalhador Adilson Gretzler (Foto: Daniela Scarioto/Rádio Progresso)

“Eu estava fazendo acabamento e quando fui largar a lixadeira no chão, ela deu contra com o disco e me atingiu o dedo, aí fui pro escritório avisei a Luize e eles me levaram ao hospital, mas não foi nada grave, apenas um corte.” Explicou Adilson.

A técnica em segurança do trabalho e tecnóloga Marli Sehnem, explica que o trabalho do técnico em segurança é acompanhar as atividades dos empregados.

A profissional, que atua há 11 anos, explica que em casos de irregularidades, o trabalhador deve estar levando esta situação para o empregador.

“O trabalhador deve ter um bom senso, uma responsabilidade e dialogar com o empregador, e sugerir para o mesmo para estar adquirindo o equipamento necessário com a ajuda do profissional da área de segurança, e não ir diretamente denunciar ao Ministério de Trabalho, por que podemos observar que às vezes o empregado acha que ele só tem direitos, claro que o empregador deve fornecer o equipamento, mas é muito importante que em primeiro lugar ele tenha um diálogo com seu empregador.” Explica a técnica.

Técnica em segurança do trabalho e tecnóloga Marli Sehnem (Foto: Arquivo Pessoal)

Ainda conforme Marli, em casos de denúncias sobre a falta de equipamentos o Ministério do Trabalho vai até a empresa para fiscalização e realiza os procedimentos cabíveis, se há alguma situação incorreta o Ministério define um prazo para que seja a feita a adequação e aplica a multa.  

Em casos de acidente de trabalho envolvendo falta de equipamento após comprovar negligência do empregador, a responsabilidade do mesmo é indenização, mas quem irá decidir é um juiz do trabalho.


Fonte: Rádio Progresso/Daniela Scarioto

Mais notícias